“População sofre nos hospitais. Dinheiro tinha, e não foi usado”, lamenta Liliane

Reportagem do DFTV da TV Globo desta terça-feira (15) mostrou a penúria que se encontram hospitais da rede pública no que tange equipamentos que fazem exames de imagem. O problema já havia sido apontado pela deputada Liliane Roriz que, em setembro de 2015, conseguiu articular com mais outros quatro distritais para que as emendas dos cinco parlamentares fossem destinadas para resolver a questão. Foram R$ 27 milhões que serviriam para a digitalização do sistema de imagem da rede pública de saúde, uma vez que, segundo fontes da secretaria, o sistema está prestes a parar. Quase seis meses depois, a situação continua de mal a pior.

 

“É uma pena. Me reuni com os deputados do meu bloco na Câmara, mostrei a situação e ficamos convencidos de que esse valor serviria para resolver esse problema. A população continua sofrendo nos hospitais. Não tem desculpa: dinheiro tinha, mas não foi usado”, lamenta Liliane.

 

Hospitais de Base, de Planaltina, Taguatinga, Ceilândia, Paranoá, Brazlândia, Guará, Gama, Samambaia, Santa Maria, Sobradinho, Hran estão com equipamentos como raios-x, tomógrafo, mamógrafo, ressonância quebrados ou funcionando parcialmente. O levantamento foi feito pelo Sindicato de Técnicos e Auxiliares em Radiologia, a pedido da deputada Liliane Roriz.

 

A parlamentar, com esse levantamento em mãos, articulou com o Bloco Força de Trabalho ao qual fazia parte na época – setembro de 2015 – e decidiu que os cinco deputados do Bloco dariam suas emendas, um total de R$ 27 milhões, para a aquisição de máquinas novas. A decisão contrariou sugestão do Governo, que enviou à CLDF um cardápio de tópicos em que os deputados poderiam colocar suas emendas, como por exemplo pagamento de empresas de vigilância de hospital. A aquisição de equipamentos novos era prioridade para o Bloco.

 

Liliane pediu empenho da Secretaria de Saúde para que a emenda do Bloco fosse aplicada. Pela equipe da própria secretaria, ficou sabendo que melhor que comprar equipamentos seria investir os R$ 27 milhões na digitalização do sistema de imagem da rede pública de saúde, uma vez que, segundo fontes da secretaria, o sistema está prestes a parar.

 

Então, a destinação do recurso foi mudada para não haver problemas com a licitação. A equipe técnica da secretaria chegou a licitar tudo, empenhou, mas o serviço não foi concluído, pois a verba, por ser emenda de 2015, só poderia ter sido usada até meados de janeiro deste ano, o que não ocorreu.

 

Ou seja: a rede precisando. A deputada consegue o recurso, faz a emenda e garante que a demanda seria atendida. A equipe técnica faz todo o processo, licita, responde possíveis erros ao tribunal de Contas, consegue levar o projeto até o fim. O que caberia ao governo, que era usar o recurso de Liliane Roriz e outros quatro deputados – Agaciel Maia, Telma Rufino, Juarezão e Raimundo Ribeiro – para salvar pelo menos a parte de imagens da rede pública. “E não foi feito. Lamentavelmente”, diz Liliane.

_facebook


_youtube


_twitter