Deputada Liliane Roriz vai à Câmara Legislativa para votar em favor do Uber

Mesmo de licença médica devido a uma cirurgia, a vice-presidente da Câmara Legislativa, deputada distrital Liliane Roriz (PTB), foi ao plenário da Câmara Legislativa nesta quinta-feira (23) para votar o segundo turno do projeto de lei que regulamenta aplicativos de transporte individual executivo, como o Uber. Liliane – que é contrária à quando a Emenda n° 65, que limita a quantidade de motoristas de aplicativos à metade da frota de taxistas — seria o voto que empataria a votação em 12 a 12 e que daria a vitória ao Uber, já que o voto de minerva seria dado pela presidente da Casa e, como conhecido, é da mesma posição da trabalhista Liliane Roriz.

 

Quando o projeto do Uber foi colocado em pauta, estavam presentes os 24 deputados distritais. Porém, em uma manobra para evitar a derrota – e manter a emenda prejudicial ao Uber -, os 12 deputados que defendem os taxistas inviabilizaram a votação, saindo do plenário.

 

Como está aprovado em primeiro turno, o projeto libera todas as modalidades do serviço, incluindo o UberX, para todos os carros que desejassem se inscrever. A Emenda n° 65, aprovada na quarta, contudo, restringe o número de veículos a 50% da frota de táxis. Ou seja, a liberação seria apenas para 1.700 motoristas cadastrados em aplicativos, levando em consideração que existem 3.400 mil táxis na capital.

 

“Vim votar, mesmo de licença, debilitada, porque entendo que a população pede a regularização do Uber. Em respeito aos cidadãos, não poderia deixar de estar aqui, representando as pessoas, e dar meu voto que, neste momento, é fundamental”, destacou Liliane. Com a falta de quórum, a parlamentar não pode votar. Segundo a presidente da Câmara, o projeto deverá ser colocado em votação de segundo turno, mais uma vez, na próxima terça-feira.

_facebook


_youtube


_twitter